Que os números relacionados à violência e Segurança pública no Brasil são bastante relevantes não é novidade para ninguém, porém as informações disponibilizadas no primeiro trimestre de 2019 podem deixar os brasileiros esperançosos com possíveis melhorias. 

Durantes os meses de janeiro, fevereiro e março de 2018, o país teve 13.552 mortes violentas. Se comparado ao levantamento realizado ao final de março de 2019, foi possível notar uma queda de 25% dos homicídios. A diferença fica em 3,2 mil mortes violentas a menos. 

Ainda que seja motivo para a sociedade comemorar, esse número é extremamente alarmante. Além disso, isso fica mais evidente se comparado à Abu Dhabi, cidade que se encontra no topo da lista das cidades mais seguras do mundo – por dois anos consecutivos -, ao Emirados Árabes em geral, que possui uma média de 60 a 100 mortes ao ano ou até mesmo Omã, que em 2014 registrou apenas 26 homicídios ao ano. Consegue perceber a diferença?

A caminhada para uma brusca redução da violência no país poderá ser árdua, porém há alguns pontos importantes para que essa mudança seja realizada com sucesso. E é exatamente isso que você encontrará nesse texto: possíveis melhorias na qualidade do serviço da Segurança pública no Brasil

 

Segurança pública no Brasil: onde falhamos? 

 

Atualmente, se parar para refletir, o policiamento brasileiro atua com foco no infrator e não no cidadão comum. Esse é um dos primeiros pontos onde a Segurança pública no Brasil se torna falha, uma vez que o trabalho é punitivo e não preventivo. 

Em outros países e culturas, é possível notar que há uma fiscalização das normas e direitos civis muito mais rígidas. Portanto, não há espaço para invasões, roubos e violências em geral. 

Outro ponto que é bastante discutido, mas que até o momento não houve melhorias é no sistema prisional. Um infrator, ao cometer o crime e ser julgado como culpado, se junta a um total de 750 mil presos que estão espalhados por prisões de regime fechado, aberto e carceragens da polícia. Como pode ser visto no infográfico produzido pelo portal de notícias G1, os infratores enfrentam superlotação, condições míseras de sobrevivência e zero chances de reabilitação.

Não há uma rotatividade dos infratores, aqueles que conseguem cumprir a pena, até mesmo por não serem reabilitados para viver em sociedade e cumprir leis, acabam retornando a esse ambiente. Portanto, nunca surge novas vagas, somente há um acréscimo de prisioneiros. 

 

Por fim e não menos importante, outro ponto que deve ser abordado nesse texto é sobre a falta de controle sobre o crime organizado e tráfico de droga. Os polícias agem em resposta às ações realizadas do outro lado.  Porém, não há uma campanha efetiva e rigorosa que impeça a entrada e saída de drogas pelas fronteiras brasileiras ou que dê fim, pelo menos, parcialmente no crime organizado. Por falta de suporte do governo aos profissionais que trabalham em prol a segurança pública no Brasil e, provavelmente, falta de interesse em trazer ações grandiosas. 

 

 

Segurança pública no Brasil: quais as possíveis melhorias?

 

Veja quais ações poderão ser colocadas em prática para combater as falhas citadas anteriormente e reduzir o número de violência no país: 

 

– Incentivar os estados a aprimorarem o desempenho das forças policiais…
Especialmente as atividades de prevenção, investigação e de perícia, com foco na proteção da vida

 

O foco do policiamento brasileiro deverá estar diretamente ligado a preservação da vida do cidadão comum. Evitando possíveis crimes e não agindo somente depois que o crime acontece. Para isso é necessário uma reforma gigantesca. Começando pela mudança na concepção dos brasileiros, uma vez que estes não enxergam tais profissionais como medida protetiva e com o devido respeito com que merecem. 

 

Além disso, é de grande importância que haja treinamentos mais específicos tanto para quem está ingressando atualmente nesse mercado como para quem já trabalha há anos na segurança pública no Brasil. Manutenção nos equipamentos de trabalho e de segurança própria, maior autonomia para suas tomadas de decisão, gestão mais eficiente e maior suporte para realizar campanhas de segurança. 

 

– Incentivar a adoção de uma política de criação de vagas no sistema penitenciário dos estados mais racional e humana 

 

A ideia, nesse caso, é fazer um trabalho de reabilitação, para que o infrator possa reformular psicologicamente suas atitudes e aprenda a se portar perante as leis e regras sociais. Diante do cenário em que estamos vivendo, somente há possibilidade de punição, não havendo nenhum aprendizado.

 

– Implantar uma política de alternativas penais mais eficientes

 

O que leva um ser humano a cometer uma infração contra as leis brasileiras é a confiança em, muitas vezes, não ser punido ou cumprir uma pena que é considerada insignificante. Em determinados casos de violência doméstica – onde não há flagrante – , por exemplo, quando há a denúncia a vítima recebe medida protetiva para que não permite que o agressor se aproxime. Junto com a descrença no policiamento brasileiro, isso não é algo que faça um agressor pensar e repensar várias vezes antes de agir. Logo, precisa ser alterado pelo governo. 

 

Outras medidas que poderiam ser aplicadas para redução dos altos índices de violências, mortes, roubos e homicídios em geral, você poderá acompanhar aqui:

 

– Investir mais na inteligência contra o crime organizado;

– Ser mais duro em relação a corrupção envolvendo agentes públicos.;

– Implementar estratégias de prevenção da violência praticada contras mulheres;

– Combater o tráfico nacional e internacional de armas de fogo;

– Fortalecer inteligência policial para retirar armas do crime;

– Fortalecer as políticas de desenvolvimento urbano nos territórios mais afetados pela violência;

– Reorientação da política de drogas;

Sistema eficiente para gerir a segurança pública.

 

Agora você já sabe como são os principais passos para buscar melhorias na segurança pública no Brasil. Se você deseja continuar acompanhando informações sobre segurança do Brasil e do mundo, me acompanhe nas redes sociais pelo Instagram, Facebook, Youtube e Linkedin. 

Caso tenha interesse em acompanhar a Security Tour, a maior viagem de estudos sobre segurança e cultura já realizado por um brasileiro. Lá mostro cada detalhe dos países do Oriente Médio e Ásia. O conteúdo é riquíssimo, cheio de detalhes e informações valiosas e tudo isso está disponibilizado gratuitamente em meu canal, vou deixar o link aqui abaixo:

 

 

Espero você lá!

Compartilhe!