O acidente no dia 27 de maio de 2019 com o avião PIPER PA-28 de matrícula PT-KLO chamou a atenção e comoveu o Brasil por transportar o famoso cantor Gabriel Diniz e ainda por se tratar de um avião de instrução e não específico para a atividade de Táxi Aéreo. 

Mas alguns pontos devem ser esclarecidos antes de espalharmos notícias que lemos na internet. 

O avião caiu por ser um avião de instrução? 

A causa da queda deverá ser divulgada pelo CENIPA que é o órgão competente para a investigação de acidentes aeronáuticos porém podemos afirmar que o simples fato de ser um avião voltado para a atividade de instrução, não justifica sua queda. As aeronaves de instrução são normalmente bem mais utilizadas que as aeronaves de Táxi Aéreo mas elas devem passar pelas mesmas manutenções periódicas e preventivas de qualquer outro tipo de aeronave. 

Mas o que o acidente tem a ver com a TFI e com consultoria de segurança? 

Hoje em dia passou a ser cada vez mais comum que empresários e artistas comprem e/ou aluguem aeronaves particulares, mas por que? A busca por um bem e um serviço premium bem como para que possam se deslocar com mais agilidade, conforto e privacidade entre dois ou mais pontos justificam a crescente procura por esse tipo de meio de transporte. Porém, dependendo da maneira como  e onde a aeronave é armazenada, cuidada, revisada e mantida pode colocar não só a vida do seus ocupantes em risco mas também de todos aqueles que estão abaixo deles em momento de voo. 

É ai que a TFI entra com um dos produtos mais importantes e de maior relevância na preservação da vida: a consultoria de segurança empresarial. Essa consultoria é um produto voltado ao público empresarial e ainda artístico (que sempre deve ser encarado como uma empresa em sua estrutura). Esses métodos e diretrizes vem sendo desenvolvidos e aplicados desde 1999, quando o então  Capitão da PMDF Leonardo Sant’Anna (C.E.O. da Total Florida International) trabalhava diretamente com a segurança da aeronave, dos tripulantes além de coordenar a segurança do governador do Distrito Federal e nos últimos anos vem sendo aperfeiçoadas, quando me formei em 2015 no curso de Aviação Civil como piloto de aeronaves de asas rotativas e iniciei a implementação de técnicas e métodos internacionalmente reconhecidos. 

Como faço para prevenir casos como esses  do cantor Gabriel Diniz?

As primeiras etapas para a prevenção de incidentes e acidentes são:

– Aplicação de métodos consolidadas internacionalmente na prevenção, manutenção, e segurança de voo. 

– Aplicação de métodos específicos para o pre voo de toda e qualquer aeronave que transporte esse tipo de autoridade.

– Escolha do melhor tipo de aeronave para a atividade a ser desenvolvida por ela, a depender de onde será guardada, quais os tipos de locais de pouso etc. 

– Procedimentos e treinamentos específicos de segurança e prevenção de acidentes para a equipe de segurança e de pilotos.

– Reciclagem periódica de treinamentos e processos. 

Enfim, é importante termos em mente sempre que a segurança é o fator mais importante quando se tiver uma aeronave, mas não devemos esquecer fatos relevantes que interferem diretamente no momento em que a aeronave não está em solo. 

Vamos escrever outro artigo sobre a preparação de equipes de segurança, pois sabemos que não somente as equipes voltadas à aviação civil devem ter treinamentos de segurança de e em voo, mas também equipes de segurança pessoal e patrimonial.

 

Lucas Petrocchi

Total Florida International

Co-Founder 

Compartilhe!