Sejam públicos ou privados, todos os hospitais e clínicas de saúde precisam de uma gestão de segurança eficiente. No blog de hoje você confere quais os pontos indispensáveis que os profissionais devem cumprir para garantir a segurança em hospitais.

Objetivo da seguranças em hospitais

Os casos de roubos e furtos em hospitais ficou ainda mais comum nesta quarentena. Durante a pandemia, criminosos têm invadido esses locais para roubar não só dinheiro do hospital, mas como equipamentos de proteção.

Como é o caso de uma quadrilha que desviou 50 mil máscaras do Hospital e Maternidade Salvalus, na Mooca, em São Paulo. A Polícia Civil já prendeu parte desses criminosos que eram especializados em furtos de insumos hospitalares.

Máscaras, sabão, álcool gel, luvas, curativos, cateteres e outros produtos de saúde são, normalmente, o alvo desse tipo de crime. Desse modo, a fiscalização e a preservação do patrimônio dos hospitais só pode ser feita por uma equipe de profissionais da segurança.

É importante ressaltar que, esse tipo de crime não afeta diretamente a saúde de uma pessoa. No entanto tem grande impacto na vida de muitos pacientes e profissionais da saúde. Pois sem os equipamentos corretos, a qualidade do atendimento é prejudicada, o que pode interferir no tratamento e, durante a pandemia, aumentar o risco de contaminação pelo covid-19.

A vigilância hospitalar tem como objetivo proteger o patrimônio e as pessoas que circulam pelo ambiente. É um conjunto de medidas que garantem a redução de danos para a instituição e a incolumidade física de visitantes, pacientes e pessoas que trabalham em todos os setores do hospital. Desde a administração, até os responsáveis pela alimentação e limpeza do hospital, todos devem estar seguros.

Atividades fundamentais na segurança de hospitais

Mesmo em cidades pequenas, os hospitais são lugares de grande circulação de pessoas. Assim, uma das primeiras atividades indispensáveis que deve ser colocada em prática durante a gestão de segurança é o controle de entrada e saída.

Esse controle deve se estender, também, para os estacionamentos internos e externos.

Isso vale para colaboradores, fornecedores, acompanhantes, visitantes, trabalhadores e pacientes. Todo mundo que entra no hospital deve ser observado pelo sistema de controle de acesso. Assim  a administração da circulação será mais eficiente. Isso vale também para áreas mais restritas, como a farmácia, o necrotério e os centros cirúrgicos.

Para que a segurança em hospitais seja eficiente, é preciso, também, fazer um plano de ação e uma análise detalhada das vulnerabilidades do local. Desse modo, os setores mais frágeis podem receber atenção necessária, enquanto os pontos fortes recebem otimização da equipe de segurança.

Outra atividade importante é o monitoramento por imagens. Essa vigilância tecnológica tem objetivo de fiscalizar e combater ações de violência, roubos e furtos nos hospitais.

As rondas frequentes ao longo do espaço interno e externo do hospital também são importantes. Assim como o atendimento e o serviço de orientação aos transeuntes que precisarem de ajuda.

Situações de perigo

Todas essas atividades diminuem os perigos, mas, caso haja situações de conflito dentro dos hospitais, é preciso usar da força física. Os profissionais da segurança que trabalham em locais desse setor, que normalmente são grandes e precisam de atenção 24 horas por dia, precisam estar sincronizados com sua equipe. Desse modo, todas as ações se conectam e a segurança é mais assertiva.

Para o uso de armas na segurança de hospitais, o profissional deve respeitar as regras da PORTARIA Nº 3.233/2012-DG/DPF, de 10/12/2012 (Alterada pela Portaria nº 3.258/2013). As leis da Polícia Federal regem o trabalho dos seguranças privados. Assim, para o uso de armas e munições não-letais o vigilante deve possuir curso de extensão específico. Isso consta na seção Seção II – Dos Requisitos para Aquisição.

Profissionalização adequada para seguranças em hospitais

A fim de que os hospitais brasileiros sejam locais de recuperação e voltados para a melhora dos pacientes, a segurança deve garantir um ambiente de paz e livre de riscos. Desse modo, o currículo dos profissionais que cuidam desse setor deve ter um nível de especialização alto.

Quanto mais cursos, reciclagem, estudos práticos e teóricos um segurança tiver, melhores posições na hierarquia de uma empresa ele pode ter. Logo, para cuidar de hospitais e fazer a gestão da segurança, são contratadas apenas pessoas de alto escalão na segurança privada.

Nesse sentido, é importante buscar por habilidades diferenciadas para aprimorar as práticas de segurança e poder alcançar melhores cargos. Uma ótima opção para esse fim é o curso Certificado em Segurança Internacional (CSI), da Total Florida International. Nele, você pode aprender técnicas de empreendedorismo aplicados no setor da segurança. Além de estudar sobre todos os pontos principais de um plano estratégico de proteção.

O curso é ministrado pelo professor Leonardo Sant’Anna, cuja carreira é admirável e que agora se dedica a passar seus conhecimentos para os interessados em alcançarem altos níveis de expertise na segurança.

Por fim, você pode acessar o curso clicando neste link: https://conteudo.totalfloridainternational.com/curso-formula-da-seguranca/

Compartilhe!