Confira como estão agindo as forças policiais durante a pandemia ao redor do mundo

Desde que o novo coronavírus se espalhou mundo afora, a vida de milhões de pessoas mudou radicalmente. Inúmeras profissões tiverem que se adaptar ao novo cenário de isolamento social. Mas, uma das classes que permanece ativa é as forças de segurança pública. Em diversos países alcançados pela pandemia, há policiais trabalhando incansavelmente para manter a ordem e proteger a sociedade.

Hoje, você confere quais medidas estão sendo aplicadas no Brasil e no exterior pelos profissionais da segurança.

Policiais estão acostumados a serem a linha de frente. Mas, era difícil prever que 2020 seria um ano marcado por uma doença devastadora. Poucos quartéis ou exércitos no mundo receberam treinamento específico para se comportar diante de um vírus. E, neste momento, tropas se comportam como se estivessem diante de uma arma biológica.

No entanto, assim como surgiram grandes momentos históricos em que autoridades tiveram que se adaptar e encontrar uma nova rotina de execução de suas tarefas, essa também é uma dessas fases que exige resiliência.

Não podemos esquecer que, embaixo das fardas e distintivos, há pessoas tão amedrontadas pela doença quanto aquelas que permanecem dentro de suas casas. Logo, o trabalho nas ruas, que normalmente já é admirável pela coragem, passa a ser um ato ainda mais heróico.

    ITÁLIA

Desde o dia 19 março, a Itália ultrapassou a China (país de origem do novo coronavírus) em número de mortes pela doença.

Os hospitais do país encontram-se sobrecarregados e a situação atingiu o nível de calamidade pública.

Para evitar a disseminação do novo coronavírus, os policiais e os membros das forças armadas italianas receberam autoridade para impor o bloqueio de circulação nas ruas. Nas fronteiras, aeroportos e estradas, também há um grande trabalho dos policiais para que a entrada e saída de pessoas em todo o país seja a mínima possível.

No entanto, pode-se notar alguns casos de violação de leis no país, cuja polícia foi chamada para conter. Como é o caso de um supermercado na Sicília, que foi roubado e mobilizou agentes para fazer a vigia e proteção do local.

Esse caso chegou até o primeiro-ministro italiano,  Giuseppe Conte, que anunciou que o governo irá distribuir bônus alimentares para as famílias mais afetadas pela crise econômica que assola o país.

Essa medida tem como objetivo diminuir os casos de roubos e furtos, para que as forças policiais durante a pandemia possam se concentrar em atividades específicas da contenção do covid-19.

    ESPANHA

Na Espanha, país gravemente atingido pelo surto de covid-19, polícias de todo o país estão utilizando a tecnologia como principal aliada.

O país é o segundo do mundo, depois da Itália, em número de mortes provocadas pela pandemia de coronavírus. E, desde 14 de março, está sob quarentena obrigatória.

As cidades espanholas tiveram seus serviços não essenciais paralisados. Com isso, a atuação da polícia se concentra em manter a população dentro de suas casas. Para isso, estão sendo utilizados drones, que auxiliam os policiais na verificação de áreas com movimento.

    ESTADOS UNIDOS

Os Estados Unidos, país que conta com tropas militares e policiais com alto nível de treinamento para situações especiais, estão enfrentando a pandemia com muita disciplina por seus oficiais.

Por ser um país que já enfrentou desastres naturais e grandes atentados, lições aprendidas anteriormente estão sendo aplicadas durante a pandemia. Segundo James Dudley, do jornal PoliceOne.com, o principal objetivo dos policiais é  manter a ordem nas cidades americanas: “Os membros da aplicação da lei têm a tarefa de impedir saqueadores e identificar, deter ou capturar aqueles que aproveitam oportunidades durante desastres para sua própria vantagem.”

Justamente por estarem na linha de frente, os agentes de segurança devem redobrar os cuidados com a saúde e prevenção de contágio. Para isso o portal Police Mag produziu um relatório completo com diretrizes de segurança para as forças policiais durante a pandemia. Essa conscientização está sendo amplamente divulgada para os policiais norte-americanos.

Ainda segundo Dudley, os policiais de todos os 50 estados americanos podem ser convocados para fornecer apoio e proteção em abrigos, hospitais e demais locais durante a pandemia.

A recomendação oficial do país é para que sejam feitas revisões de políticas sobre os níveis de força utilizados para fazer a restrição do movimento de pessoas contaminadas. Enquanto isso, os oficiais devem ficar de prontidão para caso sejam solicitados a fazer escoltas e guardar suprimentos e medicamentos do Estoque Nacional Estratégico.

Até o momento, os EUA registraram recorde de mortes em apenas um dia pelo novo coronavírus. Sendo 1.169 mortos em apenas 24 horas. Esses são dados da Universidade Johns Hopkins, cujo trabalho tem sido referência mundial nos estudos e acompanhamento do covid-19.

    REINO UNIDO

O Reino Unido conta com um plano de ação de segurança traçado pelos ministros do parlamento para enfrentar o surto do covid-19. Neste plano, está prescrito que os serviços policiais podem ser reduzidos para “cumprir funções críticas”.

Segundo o governo, a possibilidade de convocar o exército para manter a ordem pública não está descartada. Porém, no momento, ainda não se faz necessário.

Para proteger os profissionais, ficou decidido que, caso a situação se agrave, a polícia irá se concentrar nos crimes graves. Enquanto isso, o Ministério da Defesa irá fornecer o apoio necessário.

Para que haja transparência na comunicação e mais agilidade no contingenciamento da crise, haverá maior troca de informações entre o governo, o parlamento, o público e a mídia.

    BRASIL

No Brasil, a pandemia do novo coronavírus fez com que protocolos das Forças de Segurança estaduais e federais fossem alterados.

A Polícia Militar de São Paulo, por exemplo, aumentou o efetivo das tropas no policiamento das ruas. Essas que vão realizar operações em áreas estratégicas, como ao entorno de supermercados, farmácias e hospitais.

A cidade de São Paulo se encontra no topo do ranking do número de casos de covid-19 no país. Por conta disso, a Superintendência da Polícia Federal do Estado informou que só serão realizadas audiência presenciais para casos considerados urgentes. Os casos que não se enquadram como prioridade terão as audiências remarcadas.

Em Brasília, a região central concentra 32% das notificações de coronavírus, segundo a Secretaria de Saúde da capital nacional. A região mais atingida pelo vírus é o Lago Sul, onde a proporção considera números da Covid-19 a cada 100 mil habitantes.

Neste cenário, as forças policiais durante a pandemia estão agindo, também, para que haja controle da disseminação da doença. Através de medidas que evitem aglomeração de pessoas.

Uma dessas medidas foi tomada pela Polícia Civil, que ampliou os registros de ocorrência pela internet. Assim, as vítimas não precisam ir até as delegacias para prestar queixa, já que é possível fazer os protocolos online.

Para fazer o boletim de ocorrência, os brasilienses podem entrar neste site da Delegacia Eletrônica, que está disponível 24 horas.

As forças policiais durante a pandemia no mundo todo

Poucos locais do planeta não registraram casos de coronavírus. São, na maioria dos casos, locais isolados, sem grande movimentação de pessoas entrando e saindo do território. Como o caso das ilhas Samoa (Oceania), Micronésia (no Pacífico Ocidental), Santa Helena (Atlântico Sul) e ilhas Marshall (Oceania).

Portanto, com esse imenso número de pessoas infectadas, cada país está adaptando suas forças policiais durante a pandemia para preservar a saúde e a segurança da população.

Enquanto esses profissionais vão às ruas cumprir com seu ofício, cabe a população que pode ficar em casa, cumprir a risca o isolamento social. Essa medida é eficaz contra o vírus e tem que ser encarada como um ato cívico. Se cada um fazer a sua parte, esse período irá ser menos danoso à sociedade e passará mais rapidamente

Compartilhe!